Imigração e Cultura Japonesa

Religião

O Xintoísmo e o Budismo são as principais religiões no Japão. A primeira com 51,3% e a segunda com 38,3% de adeptos. A terra do sol nascente recebeu várias outras influências religiosas como: Cristianismo, Confucionismo, Taoismo. O Japão é um dos raros países no mundo onde as pessoas veneram divindades de religiões diferentes sem maiores constrangimentos; onde há capelas de uma religião no espaço sagrado de outra; ou um sacerdote de uma religião conduza cerimônias em outra religião. Essa flexibilidade e respeito pela cultura do outro pode ter sido um dos facilitadores para a integração nipônica na sociedade brasileira.

Motivos e início da imigração

No começo do século XX, o Brasil precisava de mão de obra estrangeira para as lavouras de café, enquanto o Japão, passava por um período de grande crescimento populacional. A economia nipônica não conseguia gerar os empregos necessários para toda população, então, para suprir as necessidades de ambos os países, foi selado um acordo imigratório entre os governos brasileiro e japonês.

Nos primeiros dez anos da imigração, aproximadamente quinze mil japoneses chegaram ao Brasil. Este número aumentou muito com o início da Primeira Guerra Mundial (1914-1918). Pesquisas indicam que de 1918 até 1940, aproximadamente 160 mil japoneses vieram morar em terras brasileiras. A maioria dos imigrantes preferia o estado de São Paulo, pois nesta região já estavam formados bairros e até mesmo colônias com um grande número de japoneses. Porém, algumas famílias espalharam-se para outros cantos do Brasil como, por exemplo, agricultura no norte do Paraná, produção de borracha na Amazônia, plantações de pimenta no Pará, entre outras.

Contribuições

Atualmente, o Brasil é o país com a maior quantidade de japoneses fora do Japão. Plenamente integrados à cultura brasileira, contribuem com o crescimento econômico e desenvolvimento cultural de nosso país. Os japoneses trouxeram, junto com a vontade de trabalhar, sua arte, costumes, língua, crenças e conhecimentos que contribuíram muito para o nosso país. Juntos com portugueses, índios, africanos, italianos, espanhóis, árabes, chineses, alemães e muitos outros povos, os japoneses formam este lindo painel multicultural chamado Brasil.

Museu da Imigração Japonesa

Inaugurado em 18 de junho de 1978 pelo príncipe Akihito e a princesa Michiko fica localizado na Rua São Joaquim, no bairro da Liberdade em São Paulo. É idealizado como a grande realização do 70º aniversário da imigração japonesa no Brasil. A cerimônia de abertura foi prestigiada pelo então príncipe herdeiro Akihito do Japão e pelo presidente da República Ernesto Geisel.

É mantido pela Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e Assistência Social – Bunkyo, seu objetivo foi o de registrar e preservar tudo o que pudesse contar a vida dos imigrantes japoneses no Brasil.

Nele estão documentos importantes como o Tratado da Amizade Brasil/ Japão; a chegada dos primeiros imigrantes; o pós-guerra, no qual estão retratadas as mudanças da comunidade Nikkei, a vinda das empresas japonesas; a biblioteca e o acervo, que juntos somam mais de cinco mil objetos e 28 mil documentos escritos, como diários, livros, revistas, jornais, fotos relacionadas aos imigrantes japoneses.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s